Azores in 5 days - Açores em 5 dias | Day 3 - 3º Dia

O terceiro dia já acusava algum cansaço. As pernas e os pés doíam um bocadinho!
Mas ainda havia tanto para ver. Quem disse que em três dias se visita São Miguel?
Para ajudar a relaxar e para me preparar para mais caminhadas comecei o dia nas Termas das Caldeiras, em Ribeira Grande. A entrada são 2€ para usufruir do tanque de água quente que está no exterior (a temperatura ronda os 40º C). Se quiserem usufruir de outros tratamentos, esses são pagos à parte. Exemplos deles são massagens, tratamentos de pele, estética, etc...

Só este banho de água quente foi suficiente para relaxar os músculos; e a água quente a contrastar com o frio exterior,  mais a paisagem verde?...apenas delicioso! Tentei fotografias melhores, mas estava um senhor dentro do espaço e eu não quis apanhá-lo na imagem...

Existem umas cabines para trocar de roupa, casa-de-banho...tudo o que é preciso! Não façam como eu, que entrei com uma action cam para dentro de água e correu mal. A máquina aqueceu e desligou-se; tirei logo o cartão SD para salvar as fotografias. Mas assim que arrefeceu voltou a ligar! Ufa!


Depois deste momento calmo, é partir para outra caminhada!
Fui em direção a Porto Formoso, que pertence a Ribeira Grande, e fiz a costa de carro até à Praia de Moinhos.  Esta praia é grande e muito bonita. Claro que em Maio não encontrei por lá ninguém, e os cafés também estavam fechados. A vila é pequenina e faz-se bem a pé. As casas são pequeninas e amorosas.



Descobri um sítio maravilhoso atrás desta praia! A Cascata de Porto Formoso. Esta não aparece no Google Maps, mas vejam este link para perceberem como ir lá ter... Este site informa sobre imensas cascatas...quem me dera ter conseguido ver todas! 
Para ir dar a esta cascata fui, verdadeiramente, atrás do barulho da queda de água. É que a vila está vazia, não há barulho de carros ou pessoas a falar...apenas o som das ondas na praia e da queda de água que fica ali perto!
Existe uma casa amarela e atrás dessa casa um imenso verde, que se segue a um parque de estacionamento. É andar mais um bocadinho e chegamos a uma das maravilhas de São Miguel!...
Aqui só coloco uma mínima amostra do que vi!
Podem visitar o meu Instagram e ver mais fotos e vídeos desta cascata!







Fiquei aqui umas duas horas! Não conseguia vir embora. Entre molhar os pés, saltar pedras, tentar seguir o curso da água...enfim!

Entretanto já eram horas para almoçar, e o destino para almoço estava planeado! Mas antes ainda havia outro sítio a visitar, e que ficava de caminho. A Rota dos Chás. 
Escolho o Chá Gorreana. Podia ter escolhido o de Porto Formoso, mas  foi aleatório...


A entrada é livre, bem como a visita às instalações e às plantações. Existe uma sala pequena onde  passa um vídeo sobre a história do Chá Gorreana. Logo a seguir existe outra sala de chá. Os chás verde e preto são oferta, e as pessoas podem sentar-se sem compromisso a beber o chá. Para acompanhar o chá comprei uma fatia de bolo de ananás, típico da ilha dos ananases! Só para enganar a fome do almoço!








Finalmente ia almoçar. Restaurante da Associação Agrícola de São Miguel foi a escolha. As críticas são boas, e eu confirmo! Os preços são super acessíveis, e existe possibilidade de pedir meia dose para quem não come muito! Este restaurante fica perto de Rabo de Peixe, que ainda pertence a Ribeira Grande.
Rabo de Peixe é uma vila pescatória. Totalmente diferente de tudo o que tinha visto até  aqui em São Miguel... Tinha uma ideia do que seria, mas uma ideia muito pessoal e própria do que seria a realidade. Não consegui tirar fotografias. Simplesmente não consegui parar nas ruas... E confesso que fiquei triste com algumas imagens.
Segui até Ribeira Grande, ao centro. É uma cidade pequena mas super movimentada. Aqui fica a Fábrica de Licores - A Mulher de Capote. Não provei nenhum lá, mas trouxe para Lisboa!
Estive no Miradouro do Palheiro. E ainda me sentei a assistir ao passatempo dos miúdos que brincavam na rua. Desciam a rua de skate, e subiam-na para uma nova descida. Que forma tão feliz e saudável de brincar. Estes não tinham, quase de certeza, PS4 ou PC's em casa...










Mais uma caminhada. A próxima cascata... Salto do Cabrito! Esta não estava no meu GPS...
Outra maravilha. Este trilho é  longo... Bom, 5 km é pouco, mas juntá-los ao três dias de caminhada ...dói. Tentei fazê-lo de carro o mais que pude, mas a estrada era péssima e eu estava num Peugeot 108... Andei mais um bocadinho, com a sensação de que não ia chegar lado algum. Heis que encontro um portão de ferro, pintado a verde, fechado! Mas as laterais dão passagem. Começo o caminho a descer,; ficava cada vez mais frio e escuro, mas devia valer a pena! Passo uma ponte de ferro, e continuo num caminho apertado e desnivelado. Subo e desço escadas de ferro, suspensas... Valeu a pena para ver e sentir esta energia da natureza. O meu final do dia foi aqui passado, e não podia ter sido melhor para sentir tanta felicidade!
Fumarolas por todo o lado...








Neste dia jantei sushi, o único junto à marina, em Ponta Delgada. Sushiki 🍣🍤
Bons combinados, para quem vai com fome!!





Comments

Popular Posts